Colar de Ambar

Colar de Ambar

por Dra. Camille Donnabella


Vamos falar de um assunto que é motivo de duvida entre as mamães. Colar de âmbar, vocês sabem o que?

Âmbar é uma resina vegetal encontrada na região dos Bálticos (atenção pois só é verdadeiro se vier de lá ok?), nessa resina se encontra o ácido succínico, um composto químico que tem ação no sistema imunológico, atuando então como analgésico e antiinflamatório natural.

Mas como eles fazem isso doutora? Os vendedores desse colar dizem, que em contato com a pele do bebê, as pedras se aquecem e liberam quantidades minúsculas do ácido succínico, o assim, as mamães relatam que apresenta uma grande ajuda especialmente na fase de dentição aliviando as dores e inchaços.

Porém o posicionamento oficial da Associação Brasileira de Odontopediatria é a não recomendação do uso do colar por conta do risco de asfixia. E mesmo se usado como pulseira ou tornozeleira corre o risco da criança levar a boca o que também é perigoso! Portanto, se o seu filho usa, fique atento!

Mas Dra, é verdade tudo isso?

Cientificamente falando, não! Nenhum estudo conseguiu comprovar o funcionamento do uso do colar âmbar, o que temos são relatos e experiências pessoais. É um método natural sem comprovação científica.

Resolveu usar? Então fique atento as medidas de segurança:
- O fio deve ter um nó entre cada conta. Assim, em caso de ruptura, apenas uma cai.
- Em qualquer idade, o colar deve ter entre 33 e 36 cm, para não ficar apertado nem frouxo.
- Recomenda-se tirar no banho para evitar o desgaste do cordão.
- O fecho deve ser de rosquear e coberto por âmbar, para o bebê não conseguir abrir.
- Fique atento para o uso durante a noite. A recomendação é tirar o colar para dormir.
- Acompanhe de perto o uso do colar. Preste atenção à reação do bebê quando o objeto é colocado: se ele se incomoda, tenta puxar ou nem nota.

Dra. Camille Donnabella


Residente de Pediatria
R. Bartolomeu Peranovich, 274
Centro, Atibaia - SP, 12940-610
(11) 4412-2525